Para o Wall Street o “Brazil is back”

Agora teremos que acreditar, até os americanos já acreditam que o gigante adormecido está acordando. Está demorando sem dúvida, mas como todo gigante levantando leva algum tempo até estar realmente pronto de pé.

Anos difíceis, principalmente pelo mergulho profundo e o tempo submerso.

Achataram-se salários, vendas, sonhos. Desidratou-se a economia, perdeu-se a confiança num voo prometido como galáctico na promessa e de galinha na prática.

Erodiu-se a qualidade de vida do brasileiro, padrões de vida reduzidos, empresas dizimadas, tornando “uber” o desafio que se apresenta a frente, que é como retomar a resiliente crença e positivismo do brasileiro, que desde sempre foi ensinado que esse é o país do futuro.

O déficit habitacional é matéria antiga e se agravou-se na crise. Famílias se formam, filhos crescem e a ordem do dia tem sido o ajuste as difíceis condições econômicas financeiras que se apresentam. Por medo ou debilidade financeira optou-se pelas soluções mais econômicas.
Mas o desejo tá lá, não morre, a vontade de melhorar a casa, de ter aquele cantinho do home, a varanda gourmet, o espaço dos amigos, da família, dos filhos.

Os desejos e as condições para a realização estão sendo cozinhadas numa grande panela de pressão.

Déficit habitacional, desejos de viver melhor, taxas de financiamento habitacional nunca tão baixas na história (7,99% aa), legislação que promove a saúde das incorporadoras, que irá favorecer e muito a oferta. Isso tudo somado às aprovações das mudanças dos planos Super Guedes na economia trarão um novo ciclo de prosperidade e valorização imobiliária, senão igual, muito próximo do último ciclo de alta que vivemos recentemente.

“Brazil is back” e você? .

 

 

Link da Matéria:

https://www.forbes.com/sites/kenrapoza/2019/07/10/for-wall-street-brazil-is-back-baby/#7530df0f44e5